Leia Mais

Diferenças entre os sistemas on-grid e off-grid

Os projetos de sistemas fotovoltaicos têm como base sempre a geração de energia pelos painéis solares (conjunto de placas solares). Mas, a composição do kit pode variar conforme a opção do tipo de sistema: On-Grid ou Off-Grid.

Sistema on-grid

Também conhecido como sistema fotovoltaico conectado à rede, é designado aos sistemas fotovoltaicos que estão ligados à rede pública de distribuição. Se o usuário não gerar energia suficiente ele conseguirá utilizar a energia da rede.
Ou seja, em momentos nos quais a produção de energia está em baixa, o sistema estará pronto para utilizar rede proveniente da distribuidora e, em momentos em que a produção é maior do que a capacidade de utilização, o excedente é repassado para a rede pública, retornando em forma de créditos para os usuários.
Ele é composto, basicamente, pelos módulos fotovoltaicos (comumente chamados de placas solares) e pelo(s) inversor(es) interativo(s), que é conhecido como grie-tied interactive inverter (no Brasil é comum ouvir o termo inversor grid-tied apenas). Além disso, usa também um medidor bidirecional disponibilizado pela empresa responsável pela rede pública de distribuição.

Como funciona o sistema on-grid?

O inversor interativo – ou inversor grid-tied – recebe a energia gerada pelas placas solares, em corrente contínua (CC), e a transforma em energia elétrica de corrente alternada (CA), forma uma onda igual à energia elétrica fornecida pela distribuidora local.
Entenda como o sistema funciona em passos, abaixo:
• A captação é realizada por meio dos painéis fotovoltaicos;
• A corrente contínua proveniente desse processo passa pelo inversor solar e transforma-se em corrente alternada, própria para uso;
• A casa ou estabelecimento passa a utilizar a energia produzida diretamente. Se faltar energia solar, a rede de distribuição entra automaticamente para suprir qualquer necessidade

Sistema off-grid

Denominado também como gerador fotovoltaico isolado da rede, funciona de maneira bastante semelhante, mas com uma mudança crucial: no lugar de receber e enviar energia para a rede de distribuição, são usadas baterias próprias.
O Off-Grid oferece independência total da rede de distribuição e é mais indicado para lugares remotos, como áreas rurais, pois seu uso não depende da rede pública de energia. Temos como exemplo o uso desse sistema para bombeamento de água, eletrificação de cercas, geladeiras para conservar vacinas, galpões para armazenamento de leite, postes de luz e etc.
É composto por quatro elementos: arranjo fotovoltaico (conjunto das placas solares fotovoltaicas), o banco de baterias, o controlador de carga (responsável por gerenciar a energia das baterias) e o inversor de corrente.

Como funciona o sistema off-grid?

Essas baterias são responsáveis por armazenar qualquer energia excedente produzida, alimentando o sistema nos momentos em que a produção está mais baixa. Apesar de representar um custo inicial maior, devido à instalação das baterias, esse tipo de sistema oferece também o maior grau de economia.
Em vários sentidos, seu funcionamento acontece de maneira semelhante ao sistema on-grid. Entenda melhor abaixo:
• A captação da energia solar é realizada por meio dos painéis fotovoltaicos;
• A corrente contínua é transformada em corrente alternada por meio do inversor solar e utilizada normalmente;
• Toda energia excedente é armazenada nas baterias, que contam com um controlador de carga para a proteção do equipamento;
• Durante a noite, ou em dias chuvosos e nublados, as baterias alimentam os equipamentos elétricos normalmente, como a rede de distribuição faria.

Qual sistema usar on-grid ou off-grid?

Geralmente a localização do seu cliente e suas necessidades já vão definir que tipo de sistema usar. Se o projeto fica em um local longe de um centro urbano, e, portanto, longe da rede elétrica, como uma área rural, na praia ou até um acampamento, a escolha vai ser conduzida para um sistema solar fotovoltaico off-grid.
Por outro lado, se o cliente quer gerar sua própria energia na cidade, mas com custo muito inferior ao de desligar a sua casa da distribuidora local, e tendo retorno de investimento, o ideal é que a instalação seja de um sistema fotovoltaico conectado à rede (on-grid).
Os custos para se ter um gerador solar fotovoltaico on-grid em uma residência na cidade podem ser menos da metade dos custos de um sistema fotovoltaico off-grid, pois grande parte do custo está no banco de baterias, que tem vida-útil muito menor que os módulos fotovoltaicos (placas solares).

Independentemente do tipo do projeto, conte com a Energeasy para realizar os orçamentos dos seus projetos. Trabalhamos com kits completos de última geração para captação de energia solar fotovoltaica, com todo suporte ao integrador.

Leia Mais

Agronegócio: um cliente em potencial para o mercado solar

Devido a incentivos econômicos, os sistemas fotovoltaicos instalados em zona rural já estão presentes no mundo e estão se tornando uma realidade no Brasil. Com isto, os produtores rurais ganham um aliado para reduzir os custos de produção, já que a conta de energia elétrica é um dos maiores custos desta atividade. Independente do porte destes produtores, os mesmos geralmente contam com galpões ou terrenos vazios, portanto, as instalações fotovoltaicas podem ser implementadas nestes locais.

Segundo a Associação Brasileira de Energia Solar Fotovoltaica (ABSOLAR), este setor é responsável por 8,7% dos investimentos na área. Esta porcentagem tende a crescer nos próximos anos, devido ao grande desenvolvimento do próprio agronegócio.

Os sistemas de geração de energia solar exigem pouca manutenção devido à ausência de partes móveis, são sistemas altamente confiáveis e podem durar mais de vinte e cinco anos. A radiação solar está disponível em todo o planeta e a maior parte dos materiais envolvidos na fabricação de um módulo fotovoltaico que são silício, vidro e alumínio são abundantes e pouco contaminantes.
A atividade agrícola precisa de energia elétrica. Principalmente atualmente, com crises hidrelétricas, problemas econômicos, ambientais e ecológicos, é necessário recorrer ao uso de fontes de energia renovável, que são naturais e não poluentes, em conjunto com o uso de equipamentos eficientes que consomem menos energia elétrica nas propriedades rurais.

Atividades do agronegócio que a energia solar beneficia
Os sistemas fotovoltaicos conectados à rede elétrica podem atender toda a demanda de energia da propriedade rural, independentemente do tipo de consumo, seja ele um bombeamento de água, alimentação para animais, motores ou iluminação, entre outros. No ambiente rural, a energia solar pode ser utilizada no apoio às mais diversas atividades.

  • Iluminação: Provavelmente, a atividade mais imaginada quando se pensa na fonte de energia solar. Apesar de o campo ser um ambiente rico em iluminação natural, a energia solar também contribui com o armazenamento capaz de iluminar esse local em momentos de pouca luz.
  • Irrigação: Tal atividade é essencial na agricultura. A sua atuação deve ser constante e certeira, pois cada plantio necessita de uma quantidade de água diferente, além do recebimento da irrigação em horários diferenciados. A irrigação é feita por meio dos chamados pivôs, que dependem de muita energia para o seu funcionamento.
  • Ordenha: Embora possa ser uma atividade manual, em grandes negócios é incabível que a ordenha seja feita manualmente. Para isso, existe a ordenhadeira mecânica, uma máquina própria para se tirar o leite da vaca e que, mais uma vez, necessita de bastante energia para funcionar.
  • Proteção: Um espaço de cultivo bem protegido conta com cercas elétricas de qualidade, que precisam de uma grande quantidade de energia para o seu funcionamento.
  • Refrigeração: Atividade responsável pela qualidade dos alimentos produzidos. Para o seu funcionamento, é necessário o uso de grandes refrigeradores, sendo esses uma das máquinas que mais consome energia.
  • Ventilação: Fundamental para o aumento da produtividade e conforto dos animais, além de contribuir para a redução de problemas que envolvem o calor e a seca. A ventilação no campo é realizada por meio de enormes circuladores de ar, que também necessitam de um alto gasto energético para o funcionamento.

Linhas de financiamento
O financiamento bancário torna-se uma opção interessante, que tem viabilizado consideravelmente o acesso de muitos consumidores à energia solar. O investimento em energia solar é considerado seguro, pois a inflação da tarifa de energia elétrica é uma certeza. Ao adquirir um sistema de energia solar fotovoltaica o consumidor torna-se imune aos aumentos tarifários.
As taxas para os financiamentos mudaram bastante, assim como o processo de aprovação dos créditos. O que antes era burocrático, hoje se tornou mais fácil e com taxas menores. Os bancos criaram linhas específicas para esse tipo de investimento, tornando ainda mais viável adquirir o sistema fotovoltaico.
Uma estratégia adotada pelos bancos e fintechs (startups ou empresas que desenvolvem produtos financeiros) é fazer com que a parcela do financiamento se iguale ao máximo ao valor que o cliente paga atualmente na sua conta de energia elétrica. Isso evita que o consumidor fique com dois custos no mês (parcela do financiamento e conta de energia).

O agronegócio só tem a ganhar com a energia solar. O produtor ganha com a ótima capacidade de produção de eletricidade do sistema e economiza com a redução na sua conta de energia elétrica.

Leia Mais

6 passos para montar o kit de energia solar perfeito

Montar o kit fotovoltaico ideal é um dos momentos decisivos do projeto de energia solar. Fazer os dimensionamentos e escolher os equipamentos corretos farão a diferença para atender as expectativas do seu cliente.

Antes de começar a composição do kit é necessário estudar a conta de energia elétrica e simular os custos do projeto. No mercado de solar, se destaca quem sabe tudo que não pode faltar na instalação e concilia um kit eficiente que cabe no bolso do cliente. Separamos seis passos para ajudar os integradores durante a montagem do sistema de geração de energia solar

  1. Escolha a potência e a quantidade de módulos fotovoltaicos
  2. Escolha o inversor para atender a produção de energia do passo anterior
  3. Escolha dos itens estruturais, veja como é fácil conforme quadro abaixo:

OBS: Atente-se a espessura do módulo fotovoltaico, pois na grande maioria alguns possuem 35mm ou 40mm. Dessa forma deve-se escolher o “Grampo Terminal Adequado”.

Aqui na Energeasy, as estruturas são de alumínio anodizado reforçado e possuem facilidade para aterrar o sistema construtivo:

  • O “Clip de Aterramento (2)” é montado em conjunto com os grampos intermediários e faz a função de romper o anodizado do alumínio e estabelecer contato elétrico módulo a módulo;
  • O “Jumper de Aterramento (6)” que realiza a mesma função do clip de aterramento, porém estabelecendo conexão entre emendas de perfis de fixação dos módulos;
  • Por último, temos o “Grampo de Aterramento (8)”. É ele que, via cabo solar de aterramento, fará a união da malha de aterramento existente ao sistema construtivo que você estará executando.
  1. Escolha as proteções necessárias de Stringbox e QDCA
  2. Escolha as quantidades de conectores MC4
  3. Escolha a quantidade de cabos necessária para esse projeto

Precisa de ajuda para montar um kit de energia solar com equipamentos de qualidade? Clique aqui e fale com um de nossos especialistas.

 

Leia Mais

Carport Solar: um estacionamento que gera energia

Cada dia mais, a energia solar se mostra com potencial de crescimento. Dentro dessa ascensão, as tecnologias se voltam para otimizar espaços e tornar os sistemas mais produtivos. Usar um estacionamento já existente como estrutura para gerar energia solar é uma destas apostas que vêm ganhando espaço.

Um carport solar é um estacionamento coberto para veículos, montado sobre estrutura metálica e que utiliza placas solares para fechamento da cobertura.

A expressão “Carport” vem do termo francês “porte-cochère”, referindo-se a um portal coberto e passou a ser utilizada a partir dos anos de 1930 como referência a estacionamentos cobertos, mas sem duas ou quatro paredes, permitindo uma maior ventilação do que um estacionamento convencional.     

Ao mesmo tempo em que protege os veículos do sol, as placas captam sua luz e convertem-na em energia elétrica. Depois, essa energia é utilizada para suprir o consumo local ou injetada na rede elétrica para geração de créditos energéticos.

Um diferencial neste tipo de instalação é que não é necessário um espaço adicional para a instalação das estruturas e placas fotovoltaicas. O próprio estacionamento do local se torna um gerador de energia solar.

 

Maior usina solar fotovoltaica de estacionamento do Brasil 

No Brasil, o maior estacionamento solar fica em Anápolis em Goiás, na UniEvangélica. A estrutura conta com 2,9 mil geradores fotovoltaicos instalados em uma área de 5,6 mil metros quadrados.

 

Como funciona o carport?

O sistema fotovoltaico funciona da mesma forma que as instalações comuns. A captação da luz solar é feita pelas placas voltaicas e que a transformam em energia elétrica.

A principal diferença desse tipo de projeto é a estrutura em si e sua altura, que possibilita que em baixo das vagas sejam estacionados veículos. Existem dois tipos de carport que podem ser instalados:

  • Carport com pórtico balanço simples: cobertura com somente um sentido, destinado a vagas localizadas em frente a entradas ou paredes.
  • Carport com pórtico balanço duplo: possui cobertura nas duas direções, ocupando um espaço maior, o que possibilita a fixação de uma quantidade maior de placas fotovoltaicas e, portanto, uma geração elétrica maior.

 

Quais as vantagens da estrutura carport solar?

Sua principal vantagem é que ao mesmo tempo que o veículo está protegido de danos causados pela exposição ao tempo, os painéis fotovoltaicos captam luz solar e produzem energia elétrica.

Eles demandam uma baixa manutenção (no máximo duas vezes ao ano), envolvendo a limpeza das placas e a manutenção mecânica e elétrica dos equipamentos. Isso porque a tecnologia fotovoltaica tem grande resistência, sobretudo quando falamos de um carport, no qual as estruturas de suporte possuem ótima qualidade e diversas certificações.

Os estacionamentos solares também promovem a sustentabilidade, evitando a emissão de gás carbônico e demais poluentes e, assim, contribuindo para a preservação do meio ambiente.  Para instalações comerciais, essa vantagem duplica ao agregar um marketing sustentável de forte apelo aos consumidores de hoje.

Os clientes em potencial para o Carport costumam ser locais com estruturas maiores como supermercados, shopping centers, locadora de veículos, estacionamentos e indústrias. Mas também pode ser aplicado em residências ou prédios nas vagas para carro.

Conheça a Energeasy e nossas soluções.

Precisa de ajuda?