Leia Mais

Marketing digital para aumentar as vendas de energia solar

Grande parte das pessoas quando começa a pensar em adquirir algum produto ou serviço logo vai nos buscadores da internet para entender melhor sobre o produto, opções, e inclusive investigar sobre a empresa que venda o serviço. A internet proporciona um banco de referências que é determinante na jornada de compra dos usuários.

Com a energia solar não é diferente, antes do cliente decidir que irá comprar o sistema, ele irá pesquisar, analisar e avaliar todas os benefícios e opções, muito provável na internet. Ou seja, se a sua empresa não tem um site e redes sociais não será achada pelo cliente e pode ser que nem seja uma opção cogitada para realizar um orçamento.

Por isso é tão importante, estruturar no mínimo um site e as redes sociais da sua empresa. Claro, que para isso você pode contar com empresas especializadas. Mas não cometa o erro, de pagar para alguém criar e depois nunca mais atualizar seus canais. O marketing digital exige continuidade e esforço que podem lhe dar bons frutos a longo prazo.

 

Crie conteúdo relevante para os seus clientes

Antes de tudo, você precisa conhecer quem é o seu cliente. Como ele se comunica, quem são os formadores de opinião dele, quais os hobbies que ele tem, se a linguagem dele é formal ou não, quais são seus principais problemas e uma outra série de infinidades mais. Analisando isso, você conseguirá identificar quais são as dúvidas e que tipo de materiais você pode criar para ajudar.

Criar conteúdo não é só sobre o seu produto e valores, vai muito além disso. Digamos que você sabe que uma dúvida recorrente de um cliente de energia solar é saber se realmente a conta de energia elétrica vai reduzir. Use suas redes sociais e o blog do seu site para sanar essas dúvidas, talvez alguém que esteja pesquisando sobre pode encontrar sua empresa.

 

Utilize anúncios para ser encontrado na internet

O Google Ads é a plataforma de anúncios do Google. Nele, é possível promover o site da sua empresa nas páginas de resultado de pesquisas, sites e aplicativos parceiros, YouTube e Gmail, seja com links patrocinados, imagens e até mesmo com vídeos.

Uma das principais vantagens em se anunciar no Google ao se comparar com as estratégias tradicionais de marketing é a possibilidade de pagar por resultados. Isto é, a cobrança só ocorre quando o usuário clicar no seu anúncio (é o que chamamos de custo por clique, o CPC).

O fato de não haver um custo fixo e de você escolher quantos créditos deseja inserir na plataforma faz com que anunciar no Google seja um investimento totalmente flexível, podendo ser ajustado periodicamente de acordo com as metas da sua empresa.

 

Além de criar e anunciar, você precisa analisar

Depois de criar seus conteúdos, estar presente nas mesmas plataformas que os clientes e anunciar, chegamos à etapa final: analisar os resultados!

Quantas vendas vieram dos posts no Facebook?

Quantos clientes o blog me trouxe?

Qual é a participação do Instagram nas vendas do negócio este mês?

Tudo isso nós conseguiremos responder utilizando ferramentas simples e gratuitas como o Google Analytics.

Essa é a mágica do marketing digital: além de ser muito mais barato de fazer, ele ainda nos traz métricas exatas e confiáveis para entendermos o que funcionou e o que precisará ser mudado.

 

Contrate especialistas, mas fique próximo

Terceirizar estes serviços para empresas especializadas é muito comum, porém, é responsabilidade do integrador acompanhar estar próximo do marketing digital da sua empresa. Ninguém melhor que você para saber quem são seus clientes, suas as necessidades e suas dúvidas.

Leia Mais

Causas de baixo desempenho no sistema solar relacionados aos módulos fotovoltaicos

Quando o cliente adquiri um sistema de energia solar fotovoltaica, automaticamente, ele cria uma expectativa quanto as economias financeiras. E se a quantidade de energia prevista ou prometida não for atingida?

Um dos erros que podem causar baixo desempenho do sistema de energia fotovoltaica está diretamente relacionado aos módulos fotovoltaicos. Orientação e inclinação dos módulos, sombreamento e sombreamento parcial, acúmulo de sujeira, temperatura, mismatch, degradação e célula rachada/quebrada são as incidências que vamos discorrer neste artigo.

Orientação e inclinação dos módulos fotovoltaicos

Os efeitos da inclinação e orientação dos painéis no rendimento do gerador dependem da razão entre a radiação direta e difusa local. A radiação direta é a radiação que efetivamente atinge a superfície. Por sua vez, a difusa é a radiação recebida indiretamente, onde existem perdas ao passar por obstáculos na atmosfera como nuvens. Para obter a inclinação ideal para que haja a incidência solar máxima em um período de um ano, a inclinação das placas deve ser igual à latitude local, tendo como orientação sempre a linha do equador.

Sombreamento e sombreamento parcial nos módulos fotovoltaicos

O gerador fotovoltaico apresenta seu auge quando iluminado homogeneamente. Quando há o sombreamento, parcial ou total, ocorre o fator mais crítico para o gerador devido às células serem conectadas em série, portanto o que irá determinar a corrente, potência e operação de todo o sistema será aquela que recebe a menor quantidade de radiação.

Sombreamento parcial é um fator de perda muito significativo em um sistema fotovoltaico. O sombreamento pode ser previsível, causado por árvores, postes e construções no entorno, causada pela própria arquitetura do sistema, ou até mesmo um módulo fazendo sombra no módulo adjacente. O sombreamento pode também ser imprevisível, como por exemplo, quando algo cai em cima do módulo (folha de árvore, dejetos de pássaros). Ao planejar a instalação dos painéis fotovoltaicos, deve-se atentar à sua orientação, se estão na vertical ou horizontal.

Acúmulo de sujeira nos módulos fotovoltaicos

Em áreas industriais com grande tráfego de automóveis, ou com clima seco, por exemplo, ocorre maior acúmulo de sujeira nos painéis fotovoltaicos. O efeito do acúmulo de sujeira é menor quando o módulo é limpo com a água da chuva. Uma angulação de pelo menos 10º é normalmente suficiente para que isto ocorra. Quanto maior a inclinação do módulo, mais fácil para que a autolimpeza aconteça. Além disso, o design do painel pode ajudar a promover um maior acúmulo de sujeira, quando este contém bordas elevadas. Se o sistema estiver localizado em áreas com muito acúmulo de poeira, uma limpeza regular vai aumentar significantemente o desempenho do sistema.

As perdas pelo acúmulo de poeira sobre os módulos podem chegar a 15% em locais secos, onde a limpeza torna-se uma atividade indispensável. Neste caso, a disponibilidade de água e recursos pode levar a custos adicionais para operação e manutenção destes sistemas. Em termos médios, o acúmulo de poeira provoca perdas médias de 4% ao ano. Já em condições ambientais favoráveis à agravação do problema o acúmulo pode gerar perdas de até 35% num período de seis meses

Temperatura nos módulos fotovoltaicos

A potência do gerador FV cai entre 0,3 e 0,4% a cada aumento de 1°C. Devido ao problema da elevação indesejada da temperatura, a instalação dos módulos é um critério de extrema importância para evitar o aquecimento, já que por sua vez, os módulos podem ser instalados em vários locais e de várias formas. O mais recomendado é aquele onde a instalação proporcione uma boa ventilação para que possam dissipar calor facilmente e evitar as perdas por excesso de temperatura.

Mismatch nos módulos fotovoltaicos

O mismatch ou descasamento de módulos, como também pode ser chamado, se dá pela utilização de módulos com características incompatíveis, isto é, cada painel fotovoltaico possui suas particularidades devido às células fotovoltaicas neles contidos, uma célula de menor foto corrente presente no painel pode comprometer a eficiência de todo o sistema. O seguimento do ponto de máxima potência (SPPM), ocorre quando as células são afetas homogeneamente pela irradiação solar, então, escolher atentamente quais módulos usar faz com que este efeito não ocorra por conterem características diferentes.

Degradação nos módulos fotovoltaicos

Devido à ação do tempo, ocorre nos módulos fotovoltaicos a degradação devido a diversos motivos como o brownning, yellowing, delaminação, infiltração e degradação do revestimento antirreflexivos.

O efeito brownning pode reduzir a eficiência do modulo em até 50%, e ocorre devido ao escurecimento do EVA devido à radiação UV na resina de preenchimento dos módulos fotovoltaicos, reduzindo a transmissividade óptica do material, evitando com que a luz atinja as células diretamente.

O efeito yellowing é o efeito que ocorre antes do efeito brownning, também devido à irradiação UV. Pode ocorrer em módulos que ficam guardados muito tempo sem receber a radiação, diferente da outra forma, esta é reversível, basta deixar o módulo fotovoltaicos alguns dias sobre a exposição solar.

A delaminação ocorre quando o EVA se descola da superfície das células fotovoltaicas criando uma interface óptica adicional fazendo com que aumente a refletividade fazendo com que a radiação solar que atinja a células seja menor e mudando as características ópticas dos encapsulamentos.

No caso da infiltração, a mesma ocorre devido a defeitos de fabricação, onde o módulo fotovoltaico não é devidamente vedado permitindo assim que ocorra a penetração de água, seja pelas bordas ou até mesmo pela caixa de vedação fazendo com que ocorra a corrosão das conexões elétricas fazendo com que o módulo fique inutilizável.

Célula rachada ou quebrada nos módulos fotovoltaicos

A célula rachada/quebrada é caracterizada por defeito de fabricação. Em módulos fotovoltaicos instalados no campo, as quebras podem ser por estresse térmico (dilatação/contração), por mau manuseio no operador ou até mesmo por chuvas de granizo. Quando ocorre a avaria em algum dos módulos, ocorre o mismatch, devido à alteração das características dos módulos danificados.

 

Leia Mais

Tudo que você precisa saber sobre estruturas de fixação solar

Quando se pensa em sistema fotovoltaico para geração de energia solar, logo se pensa nas placas solares. Mas, as estruturas de fixação são tão importantes quanto os próprios módulos de um sistema fotovoltaico, e seu mau desempenho pode invalidar por completo o investimento na tecnologia limpa da energia solar.

A função primordial da estrutura é unir os módulos fotovoltaicos ao telhado ou solo, a depender do tipo de instalação. As estruturas como o nome diz serve para fixar e assegurar a posição correta dos módulos em uma instalação. É importantíssimo se certificar que a estrutura irá durar no mínimo 25 anos, pois realizar uma troca dela não será nada barato.

As estruturas de boa qualidade são, normalmente, feitas de alumínio, principalmente as partes que são fixadas no módulo fotovoltaico, assegurando não só resistência, como também leveza. Outros componentes, como aço galvanizado, também são utilizados, porém estes devem ser avaliados quanto ao peso, estabilidade e vida útil, evitando manutenções prematuras na instalação.

 

Quais são os principais fixadores para energia solar?

  • Estruturas de fixação: São a base do sistema, já que irão receber os painéis fotovoltaicos e fixá-los ao telhado. As estruturas são formadas, principalmente, por suportes e trilhos de alumínio para aumentar a vida útil do produto.
  • Conjunto de haste solar: Conjuntos formados por haste, vedação, porcas e suporte que são utilizados para a fixação das estruturas que sustentam os painéis fotovoltaicos no telhado.
  • Clamps – Grampos de fixação: Têm a função de fixar o painel fotovoltaico no trilho, podendo ser utilizado entre dois painéis ou no início/fim de uma linha de painéis.
  • Parafuso cabeça de martelo: Utilizado para união do suporte ao trilho, possui cabeça com geometria de formato específico, permitindo a fácil aplicação e fixação das pelas. É indicado realizar esta montagem com a porca sextavada flangeada dentada.

 

Quais são as funções das estruturas de fixação?

A estrutura deve ser projetada para suportar cargas de vento, bem como para suportar calor ou frio extremos. Por isso, as estruturas para fixação dos módulos fotovoltaicos devem possuir algumas características e cumprir funções importantes

Suportar os pesos dos módulos e ventos fortes: a estrutura de fixação deve ser capaz de suportar os pesos dos módulos mesmo em condições severas de ventos fortes, tempestades de granizos por longos períodos de tempo (anos).

Garantir a resistência dos módulos fotovoltaicos aos impactos: a estrutura deve ser adequada às características dos módulos fotovoltaicos (pontos de fixação) para não alterar a resistência dos módulos aos diferentes tipos de impactos. Estes impactos podem provocar rachaduras, microfissuras nas células fotovoltaicas que podem afetar rendimento e vida útil do sistema se o módulo não for fixado de acordo com as recomendações do fabricante.

Dar a inclinação e a orientação necessárias aos módulos fotovoltaicos: as estruturas de fixação são importantes para dar a inclinação e orientação necessárias para melhorar e assegurar a melhor captação possível do recurso solar. Muitas vezes utilizadas para “corrigir” desvios em relação ao norte ou para otimização do ângulo de inclinação dos módulos fotovoltaicos.

Não prejudicar a estética do local de instalação: a estrutura deve ser planejada para se adaptar ao telhado, solo ou fachada sem prejudicar a estética do seu entorno. A estrutura tem um papel fundamental para integração harmoniosa dos sistemas fotovoltaicos aos prédios e fachadas.

Ser fabricada de materiais menos suscetíveis a corrosão: os materiais utilizados nas estruturas de fixação ficam expostos aos ventos, chuva, Sol, bem como à ciclos de aquecimento e resfriamento diários e devem suportar estas condições por longos períodos de tempo sem enfraquecer a sua resistência estrutural.

 

Cuidados durante a instalação

Os instaladores solares passam a maior parte do tempo de instalação fixando as estruturas e os módulos fotovoltaicos. Eles devem se certificar que as estruturas de fixação estão corretamente instaladas e estão aptas para receber os módulos fotovoltaicos.

A equipe tem que garantir que as estruturas dos módulos não irão afetar a sustentação do telhado e nem permitir que a umidade penetre diminuindo a sua vida útil.  É necessário que o instalador possua experiência e treinamento em questões de segurança para que a instalação ocorra sem imprevistos. As estruturas de fixação dos módulos fotovoltaicos devem ser de boa qualidade, mas a equipe que realiza a sua montagem deve ser qualificada para garantir o melhor retorno do seu investimento e evitar danos para sua propriedade.

As estruturas para fixação dos painéis solares podem não ser a parte mais deslumbrante da instalação do seu sistema solar fotovoltaico, mas é uma das considerações mais importantes para proteger seu sistema e seu telhado.

 

Erros clássicos na escolha da estrutura da fixação

  • Procurar por materiais de pouca qualidade visando apenas o preço.
  • Achar que esta é a parte menos importante do sistema e só dar atenção a escolha dos módulos e inversores fotovoltaicos.
  • Não se atentar ao tipo de telhado ou necessidade de correção do ângulo de inclinação dos módulos fotovoltaicos.

Leia Mais

Como crescer no mercado solar através do pós-vendas

Os módulos fotovoltaicos tem uma longa vida útil, estimasse que até 25 anos, e esse período pode criar um relacionamento importante entre integrador e cliente. No mercado de energia solar, estruturar ações de pós-vendas pode gerar negócios importantes para o faturamento.

Pensar que uma venda termina com a instalação do projeto é perder oportunidades. É no pós que se têm chances de transformar cada cliente em compradores recorrentes, admiradores e, uma das coisas mais importantes, promotores da marca.

O que é pós-venda?

Pós-venda é a etapa do processo de venda que vem depois da compra e tem o objetivo de reter o cliente para continuar oferecendo valor a ele e gerando ganhos para a marca. Diferentemente do que muitos integradores pensam, a jornada do consumidor continua depois da instalação.

Outro engano é pensar que o pós-vendas é apenas um SAC para resolução de problemas e reclamações. Cabe olhar para esta ação de forma estratégica para que os clientes se sintam lembrados e valorizados.

No mercado solar, gerar uma boa experiência para os seus clientes está diretamente atrelado a economia na conta de energia. Acompanhar o cliente com frequência após a instalação irá garantir a satisfação neste quesito, auxiliando o cliente em possíveis eventos que podem impactar a eficiência das placas como: acúmulo de sujeiras, desgaste ou falha de componentes/equipamentos e substituição de componentes/equipamentos.

Ações de pós vendas para energia solar

Pesquisas de satisfação: Têm o objetivo de entender, quantificar e qualificar a percepção do seu cliente sobre o produto. Podem-se utilizar entrevistas, formulários, pesquisas e outras técnicas para coleta de dados. Neste momento do pós-vendas, é necessário um canal de comunicação de fácil acesso que o cliente se sinta confortável para tirar as dúvidas, principalmente logo após a instalação.

Processos de relacionamento: Contemplam ações que mantêm o seu cliente em contato com a sua marca e em constante atualização sobre os ganhos com a energia solar, além de gerar novas compras. Para isso, é fundamental que a equipe de técnicos monitore sistematicamente o funcionamento dos sistemas instalados pela empresa

Processos de crescimento: Estão ligados a aproveitar ao máximo aproveitamento do potencial de expansão do cliente. Desde a venda de serviços de limpeza e manutenção dos painéis até a expansão do sistema de energia fotovoltaica. Além de claro, fomentar a indicação para outros clientes.

Muitos integradores não se atentam a importância desse processo de pós-vendas e quem aplica da forma correta tem grandes chances de se destacar nesse mercado.

 

Precisa de ajuda?